Translate

quarta-feira, 3 de julho de 2013

CUPIM OU POLIA?

Sempre gostei de móveis de madeira. Mas a qualidade do que compramos nem sempre vem estampada na aparência e acabamento externo. Em alguns casos temos o dissabor de após um período de uso, que pode ser curto ou longo, encontrar pequenos montinhos que parecem minúsculas bolinhas de madeira. Na verdade são fezes secas de um terrível inseto. CUPIM!

Foi o que me aconteceu.

Há alguns anos comprei uma linda estante, estilo inglês Queen Anne (réplica) e duas bandejas em madeira. Uma das bandejas, eu presenteei e fiquei com a outra.
recuperando móveis

móveis de madeira
Foi com muito desgosto e pavor que descobri pequenos montes de “bolinhas de madeira” na minha bela estante e também na bandeja. 
Cupim
- CUPIM!!! – soltei o alerta geral em casa.

Meu marido muito tranquilamente, após minuciosa inspeção, declarou convicto:

- POLIA. É um tipo mais brando e possível o combate.

Como ele sabe? Pensei.

- Temos muitos móveis de madeira mais antigos sem cupim. – retruquei, completando em seguida – Ou polia.

- Normalmente já vem no móvel. Principalmente se a madeira não foi devidamente tratada. – ele continuou mantendo sua calma e controle habitual.

Não é que eu não tenha acreditado, mas resolvi fazer algumas pesquisas. Queria ter a certeza sobre qual caminho tomar. Tratar o móvel com veneno ou substituí-lo imediatamente. Veneno ou uma grande fogueira?

Resolvi pesquisar na internet sobre o assunto. Afinal se compramos um móvel, seja ele qual for, não queremos que ele se desmanche diante de nossos olhos.

Cupim ou polia? O que são?

São pequenos insetos que aparecem nos móveis sem convite e cerimônia e se alimentam de celulose. Atacam papeis, livros e todo tipo de móveis e objetos de madeira.

Normalmente os cupins possuem uma grande capacidade de proliferação e se alastram rapidamente.

Existem vários tipos de cupins catalogados no mundo, a maioria vive em regiões tropicais e subtropicais.

Basicamente, os tipos mais comuns no Brasil podem ser divididos em quatro grupos:

  • Cupim de solo ou cupim subterrâneo – vivem no solo e nos vãos estruturais das construções. Deixa trilhas mais finas.
  • Cupim de madeira seca – deixa trilhas grossas e é o mais conhecido.
  • Cupim Polia – Comum em móveis como guarda-roupa, estantes e outros objetos feitos com madeiras sem tratamento e contaminadas.
  • Cupim pica-pau - mais raro. É maior que os demais e mais rápido em sua destruição.  
Eu sabia! Polia é um tipo de cupim. Tá, existem tipos mais agressivos e piores. Mas nem por isto a situação é agradável e insignificante.

Como é que uma fábrica de móveis usa madeiras sem o devido tratamento? Será que só se preocupam com a aparência?

Não sei se é coincidência, mas a estante e as bandejas foram compradas na mesma fábrica. Meus outros móveis de madeira (mesa de jantar, cadeiras, mesa de jogos, poltronas, mesa de centro e mesa de canto), foram comprados na mesma região, mas em outras fábricas, nunca apresentaram tal “inconveniente”.

Qualidade da madeira usada? Tratamento prévio da madeira? Mistura de madeiras de qualidade (as chamadas madeiras de lei) com madeiras inferiores? Falta de responsabilidade e envolvimento do proprietário da fábrica de móveis?

Embora não tenha certeza, acho que a bandeja que dei de presente também estava "contaminada". Pura especulação, visto que a pessoa diz ter repassado para outra pessoa. Acho que ela ficou encabulada em admitir ter jogado a bandeja fora ao detectar a presença de polia. Encabulada e embaraçada fiquei eu. Achava que estava dando um bom presente e na realidade estava ocasionando um problema. Realmente, uma situação extremamente desagradável.

No caso de polia, normalmente o ataque fica restrito à peça de madeira infestada. A polia só passa para outro móvel se tiver contato direto entre si. Isto porque não forma trilhas de deslocamento. Menos mal. Pelo menos o ataque não terá que ser na casa toda. Apenas nas peças daquela específica fábrica. Fábrica que com certeza estará riscada de minha lista pessoal e de indicação aos amigos e conhecidos.

É preciso combater intensamente com veneno para cupim.

Se a área acometida for grande o ideal é que um profissional seja chamado.

Inicialmente fiquei tentada a chamar uma equipe profissional. Mudei de ideia após uma inspeção mais detalhada na estante. Tiramos todos os livros da área acometida e verificamos que o ataque era na madeira lateral. Bom, pelo menos até o momento. É impossível saber se existem outros focos na estante. Só tempo dirá. Por mim eu mergulharia a estante em um tanque de veneno e deixaria escorrendo e secando bem longe de casa.

Há várias opções no mercado de veneno para o controle e eliminação desses pequenos e inconvenientes insetos.

ATENÇÃO! Eu disse VENENO. Todo o cuidado é pouco.
Use luvas, camisa de manga comprida, máscara e óculos de proteção.

Se vocês forem tratar algum móvel da cozinha, é de extrema importância retirar todos os utensílios, panelas e comidas. Deixe-os bem longe do local da aplicação. Só use o armário, no mínimo, três dias e após limpeza com pano úmido. Lave os utensílios antes de usar. Não era o nosso caso, felizmente. Nossa estante abriga livros e papeis. 

Além do veneno compramos seringa e agulha grossa para injetar nos pequenos orifícios encontrados.

Meu marido atacou a estante e eu a bandeja.

Escolhemos um dia que nossos filhos passariam muito tempo fora de casa. Embora não sejam mais crianças, não havia motivo para expô-los ao veneno.

Retiramos os livros e prateleiras da estante.
Calçamos as luvas, abrimos as janelas e começamos o trabalho.

Na bandeja como a maior incidência estava no fundo, eu resolvi ir além. Virei a bandeja e caduquei alguns orifícios com uma chave de fenda. Abri um verdadeiro rombo na bandeja. Se for pra combater de maneira efetiva, que o seja plenamente. Vejam o buraco e o dano da “polia” na madeira.
móveis de madeira


móveis de madeira
Limpamos o local dos dejetos de cupim, digo polia. Facilita a detecção dos orifícios de saída e posteriormente verificar novos focos. Espero que não surjam.

Outra coisa que se pode observar é a cor da madeira usada. Clara. Sempre ouvi que madeira escura é mais resistente do que madeira clara. As madeiras claras são consideradas macias ou moles o que favorece a ação de cupins. A cor escura da bandeja foi obtida com uso de verniz escuro. Madeira de lei coisa nenhuma. Eu me senti enganada duplamente. Afffffffffffffffffffffff.

Não sei quem destruiu mais. Ela (a polia) ou eu. Isto é que é cortar o mal pela raiz. kkkkkkkkkkkkkkkk.

Tenho a impressão que meu marido ficou aliviado por ter assumido a estante. Mesmo não tendo feito nenhum comentário, o alívio foi visível. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Não reclamei. Estava muito ocupada pensando em uma forma de tapar o buraco. Pelo menos é no fundo.
Limpamos o local dos dejetos de cupim, digo polia. Facilita a detecção dos orifícios de saída e posteriormente verificar novos focos. Espero que não surjam.

Começamos a injetar o veneno inicialmente com a mangueirinha do próprio produto e posteriormente com o auxílio da seringa. Eu na bandeja e meu marido na estante.
 
Como alguns pontos com buracos de cupim não estavam com a madeira "fofa" (a sensação é de uma pequena película de madeira por fora e oca por dentro), não abri outras "crateras"na bandeja. Para os orifícios menores usei a seringa com agulha. 

Encharquei a madeira com bastante veneno. 
recuperando móveis de madeira
Após a aplicação do veneno é preciso deixa-lo agir.

Isolamos a sala em questão.  O cheiro do veneno é bem forte e ativo.

Retiramos as luvas, descartando-as e lavamos vigorosamente as mãos.

Felizmente, o feriado de São João chegou para nos salvar. De malas prontas, fechamos a casa e fomos passar um agradável final de semana em uma fazenda.

                MARAVILHA!!!
 
Estava precisando disso. Lugar maravilhoso com muito verde, comidas típicas e gostosas, pessoas encantadoras e amigas. O que mais eu poderia querer? Por um momento consegui me desligar do problema da polia. Afinal não havia mais o que fazer, agora era a vez do veneno desempenhar sua função.

O momento era de relaxamento.


Como tudo que é bom, o final de semana acabou.

Sem stress, desfiz as malas, separei as roupas pra lavar, limpei os sapatos antes de guardar, recoloquei as malas no lugar.

Hora de ver o resultado final. Ponto positivo: sem montinhos de “dejetos” na estante ou bandeja. Sabemos que teremos que inspecionar a estante e bandeja com frequência. Aqueles focos foram destruídos. Outros podem aparecer. Será uma tremenda trabalheira, tira e põe livros de tempo em tempo.

Agora era a hora de recuperar o estrago feito na bandeja. Aquele que meu marido gentilmente não criticou.

A solução vinha se formando em minha mente na viagem de retorno.  Cola + serragem. E depois de bem seca, verniz em toda superfície da bandeja. Importante que a bandeja não fosse guardada sobre nenhum móvel de madeira, sob o risco de contaminação em caso de ter permanecido algum foco não tratado.

Separei uma pequena quantidade de serragem e misturei cola branca extra forte (também serve cola de madeira). 

Misture bem até ficar uma pasta homogênea.

Depois é só preencher os buracos com a mistura de serragem. Procure tampar todos os buracos, inclusive aqueles pequenos de saída dos dejetos. 
recuperando móvel com cupim

Limpe a superfície ao redor, tirando o excedente da massa. Deixe secar bem.

Ao secar totalmente a massa encolhe, sendo necessário acrescentar mais massa. Aguarde novamente a secagem. Observe que a massa escure com a secagem.
Se preferir use massa para madeira, vendida em casas de material de construção. Como a quantidade que eu queria era pequena resolvi usar a serragem.
Para agilizar a secagem use um secador de cabelo. 
Depois é só lixar. O ideal é tirar todo o verniz do fundo. Envernizar na tonalidade da bandeja ou inovar?
Estou pensando em colar um feltro no fundo da bandeja, desta forma irei proteger os outros móveis de possíveis arranhões. 

Por enquanto, resolvi deixa-la de quarentena encima do freezer. Quero observar se aparecem novos sinais de "polia" (CUPIM). Além do mais quero que fique bastante tempo arejando para eliminar totalmente o cheiro do veneno.

Espero que vocês não enfrentem problema parecido, mas se acontecer, o jeito é arregaçar as mangas e partir pra ação. O tempo é inimigo do móvel em se tratando de cupim ou polia. Nada de perder tempo.

Se não quiser usar veneno ou perder o móvel, a única solução que resta é comprar um belo exemplar de TAMANDUÁ.

Isto mesmo, depois de algumas pesquisas, descobri que só existem três tratamentos para o caso de cupim ou polia:

VENENO ou FOGO ou TAMANDUÁ.

Eu particularmente, apesar de todo o inconveniente, indico a primeira opção. Rsrsrsrsrsrsrsrsrsrs...

No mais, muito cuidado com o lugar que compram móveis, vale a pena pesquisar sobre a fábrica. O trabalho com certeza irá evitar surpresas desagradáveis no futuro. 

BOA SORTE!!!



2 comentários:

  1. legal, foi tudo feito certo, recentemente comprei uma mesa que era pra ser de madeira de lei, e com cupim, eu ja comprei sabendo que estava com cupim, já decidido a trata-la. o cupim era só no meio do tampo, quando comecei a procurar os rastros de madeira por baixo do tampo descobri que ela era feita do mesmo jeito que sua bandeja, somente a borda do tampo era madera de lei, e ar armação dos pés com os pés. Então os cupins só atacaram o meio do tampo. no moento o tampo ela embebido em veneno e vedado dentro de um saco, vou deixar uma semana e depois vou preencher os "camnions" que os cupins deixaram da mesma maneira que voce.

    espero que tenham sumido de vez seus cupins.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Deivi, até o momento não observei "novos" invasores em minha estante. Espero que a solução tenha sido definitiva. Mas, é preciso manter uma certa vigilância. Estes bichinhos são silenciosos.
      Espero que você tenha sorte com sua mesa. Se você preferir um acabamento melhor para o tampo de madeira, pode usar uma massa própria para preencher os buracos. Vende em casa especializada em materiais de construção (massa para madeira). Um abraço.

      Excluir